09 – Nossa Senhora de Akita

Agnes Katsuko Sasagawa ingressou no Instituto das Servas do Santíssimo Sacramento em Yuzawadai, nas proximidades de Akita, em 12 de maio de 1973. Ela tinha se convertido do budismo e estava incurável e totalmente surda.

O primeiro evento milagroso ocorreu em 12 de junho de 1973, apenas um mês após a entrada de Agnes no convento: uma luz resplandeceu diante do Tabernáculo. Isso aconteceu várias vezes junto com algo parecido com fumaça que pairava em volta do altar.

Durante uma dessas iluminações a Irmã Agnes viu “uma multidão de seres semelhantes a anjos que cercavam o altar em adoração diante do Santíssimo Sacramento”.

O Anjo da Guarda confidenciou várias mensagens para a irmã e, muitas vezes orou com ela, além de orientá-la e aconselhá-la.

Em 28 de junho de 1973 uma ferida em forma de cruz apareceu na palma da mão esquerda da Irmã Agnes. A ferida sangrou abundantemente e causou-lhe muita dor. Em 6 de julho a Irmã Agnes ouviu uma voz vinda da imagem da Bem-aventurada Virgem Maria na capela onde ela estava rezando. A imagem foi esculpida de um único bloco de madeira de uma árvore Katsura e tem um metro de altura. Nossa Senhora falou com a Irmã Agnes e lhe deu uma mensagem.

No mesmo dia, algumas das irmãs notaram gotas de sangue fluindo da mão direita da imagem. Em quatro ocasiões este ato de escorrimento de sangue se repetiu. A ferida na mão da estátua permaneceu até 29 de setembro, quando desapareceu. Em 29 de setembro, o dia em que a ferida na estátua desapareceu, as irmãs perceberam que a estátua agora tinha começado a “suar”, especialmente na testa e pescoço.

Em 3 de agosto, a Irmã Agnes recebeu uma segunda mensagem. Em 13 de outubro, ela recebeu a terceira e última mensagem.

Dois anos depois, em 4 de janeiro de 1975, a imagem da Bem-aventurada Virgem começou a chorar. Ela continuou a chorar, com intervalos, pelos próximos 6 anos e oito meses. Ela chorou 101 vezes de acordo com o testemunho de mais de 500 cristãos e não-cristãos, incluindo o prefeito da cidade de Akita, budista.

Leia Carta Pastoral Do Revmo. Bispo D. Shojiro-Jean Ito, da Diocese de Niigata, aprovando e declarando sobrenaturais os eventos de Akita, no Japão:

I- A todos os meus diocesanos, minha bênção e meus melhores votos nesta Festa da Páscoa.

Eis que há vinte anos sou Bispo da Diocese de Niigata, nomeado por Sua Santidade João XXIII, em 1962. Conforme a legislação da Igreja, atinjo a idade compulsória e devo deixar minhas funções. Sou reconhecido a cada um de vós por vossa oração e colaboração que me permitiram, apesar das dificuldades, cumprir meu dever até o dia de hoje.

Antes de vos deixar, devo ainda vos confiar uma missão: trata-se de uma série de acontecimentos misteriosos, concernentes a uma imagem de madeira da Virgem Maria, que se encontra no Instituto das Servas da Eucaristia. (O pedido do reconhecimento eclesial deste Instituto Secular já foi introduzido em Roma). O instituto se encontra em Yuzawadai, Soegawa, Akita, na Diocese de Niigata (Japão).

Instituto das Servas da Eucaristia em Yuzawadai, Soegawa, Akita

Todos estão informados desses acontecimentos, sem dúvida, pela divulgação dos livros, revistas e da televisão. Desde que em 1976 a primeira Comissão de Inquérito foi nomeada, anunciei publicamente que era preciso abster-se de qualquer peregrinação oficial e de toda veneração particular a essa imagem, enquanto durasse a investigação. Depois daquele dia, não fiz nenhuma outra declaração a respeito. Com efeito, tratando-se de acontecimentos importantes que dizem respeito à Igreja, não podiam ser tratados superficialmente.

No entanto, manter silêncio no momento de deixar minha função seria uma negligência no tocante aos meus deveres de Bispo, porque estive no centro dos acontecimentos. Por isso decidi fazer uma nova declaração em forma de Carta Pastoral.

Onze anos já se passaram desde que os acontecimentos tiveram início em 1973.

Como foi a primeira vez que testemunhei acontecimentos tão extraordinários, dirigi-me à Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma, em 1975. Consultei Dom Hamer, Secretário dessa Congregação, já meu conhecido. Ele meu explicou que tais fatos se reportavam sobretudo à autoridade do Bispo do lugar.

Em 1976, solicitei ao Arcebispo de Tóquio a criação de uma Comissão de Inquérito. Essa Comissão declarou não estar à altura de provar o caráter sobrenatural dos acontecimentos em Akita.

Em 1979, apresentei à Congregação uma renovada solicitação para ser instituída uma segunda Comissão de Inquérito, que nos permitiu examinar os fatos ainda mais detalhadamente.

Em 1981, uma carta da Congregação, desfavorável aos acontecimentos, chegou à Nunciatura de Tóquio. Porém essa carta continha mal-entendidos. Julgando ser do meu dever restabelecer a exatidão dos fatos, reexaminei tudo em 1982, precisamente no momento em que os acontecimentos chegaram ao fim. Fiz com que voltassem a Roma, por intermédio do Núncio Apostólico em Tóquio, relatórios completos, acrescidos de novos fatos. Por oportunidade de minha viagem a Roma, no mês de outubro do ano passado, tive a oportunidade de me entrevistar com três personalidades encarregadas dos assuntos da Congregação para a Doutrina da Fé.

Como conclusão desse encontro, admitimos que a matéria deveria ainda ser objeto de um prolongado exame.

II– A série de acontecimentos relativos à imagem da Virgem Maria inclui o derramamento de sangue da mão direita da estátua, bem como uma transpiração que espalhou um perfume suave, transpiração tão abundante, que foi necessário enxugar a imagem.

No entanto, o fato mais notável, ao nosso juízo, e o mais evidente, é o transbordar de um líquido aquoso, semelhante a lágrimas humanas, dos olhos da imagem de Nossa Santa Mãe. Isto teve início no dia 4 de janeiro de 1975 (Ano Santo) e as lágrimas se derramaram cento e uma vezes, até o dia 15 de setembro de 1981, festa de Nossa Senhora das Sete Dores.

Eu mesmo fui testemunha de quatro lacrimações. E cerca de quinhentas pessoas puderam ver o fenômeno. Por duas vezes, provei esse líquido. Era salgado e me pareceu serem verdadeiras lágrimas humanas. O exame científico do professor Sagisaka, especialista em Medicina Legal, da Faculdade de Medicina da Universidade de Akita, provou que esse líquido é de fato idêntico a lágrimas humanas. Se os acontecimentos não são naturais, é possível admitir três causas. E estas seriam devidas a:

  • faculdades paranormais de um ser humano;
  • à maquinação do demônio;
  • uma intervenção sobrenatural.

Não sei exatamente o que poderiam ser faculdades paranormais; no entanto, alguns dizem que a religiosa Agnes Katsuko Sasagawa, do Instituto das Servas da Eucaristia, que está particularmente ligada aos acontecimentos de Akita, possuiria poderes paranormais, que lhe permitiriam transferir suas próprias lágrimas à imagem. Para isso, entretanto, seria necessário, segundo o professor Itaya, da Universidade de Tecnologia de Tóquio, que a interessada estivesse consciente do fato, a fim de intervir com seus poderes paranormais.

Ora, as lágrimas se derramaram na estátua quando a irmã Sasagawa dormia e não teve conhecimento do fato, estando na ocasião com sua família a quatrocentos quilômetros de Akita. Penso, portanto, que a hipótese de tais faculdades devem ser descartadas.

Há também pessoas que supõem que se trata de uma maquinação do demônio. Se tal fosse o caso, deveria produzir efeitos nefastos à fé. Não somente não há tais efeitos, mas bem ao contrário, resultantes favoráveis.

Por exemplo, um marido por cuja conversão sua mulher, católica, pedia instantemente, resolveu pedir o batismo depois de ter visto essas lágrimas. Em outro caso, um antigo crente, há décadas afastado da Igreja, voltou regularmente à prática de nossa religião. Ou ainda, depois de uma visita ao lugar, uma fiel se decidiu trabalhar na evangelização e vem perseverando nesta obra até os dias de hoje. E sozinha, ela fundou duas bases de evangelização leiga.

Religiosas na capela do Instituto das Servas da Eucaristia

Por outro lado, há relatórios de curas miraculosas de doenças tais como o câncer, graças à mediação da Virgem de Akita. Menciono dois dos mais comprovados. Uma cura súbita de uma senhora coreana. Um câncer no cérebro a reduziu a um estado vegetativo desde julho de 1981. A Virgem de Akita lhe apareceu e lhe disse que se levantasse. Ela de imediato pôde se levantar, recuperando completamente a saúde. Esta cura se deu quando sacerdotes e senhoras coreanas pediam em oração por ela à Nossa Senhora de Akita, pedindo o milagre pelos méritos e canonização dos mártires coreanos. Existem radiografias dessa pessoa tomadas durante a doença e depois de sua completa cura. Elas são de tal clareza que até mesmo um leigo pode constatar sua restauração. A autenticidade dessas radiografias é atestada pelo Dr. M.D. Tong Woo King, do Hospital São Paulo de Seul, que ele próprio tirou, e também pelo Pe. Theisen, STD., presidente do Tribunal Eclesiástico de Seul. Todos esses documentos foram enviados a Roma.

Também fui a Seul, capital da Coréia do Sul, no ano passado e pude me entrevistar com essa miraculada. Pude então me assegurar da veracidade dos fatos e da sua cura milagrosa. Ela, por sua vez, também veio a Akita para agradecer à Nossa Santa Mãe.

O segundo caso é o da completa cura da surdez total de que era vítima a irmã Sasagawa. Desse darei detalhes mais adiante.

Em face de tais fatos propícios à Fé e à saúde física, parece que se excluem dos acontecimentos de Akita a possibilidade de terem origem diabólica. Só resta, portanto, a possibilidade de uma intervenção sobrenatural. Torna-se difícil sustentar outra justificativa.

III– Mas, por que se deram tais fenômenos? Eu me indago se eles não se relacionam com as Mensagens provenientes da imagem da Virgem, recebidas pelos ouvidos surdos da irmã Sasagawa.

A primeira mensagem lhe foi dada na manhã do dia 6 de junho de 1973, primeira sexta-feira do mês. Uma voz vinda da imagem de Maria, toda resplandecente, dizendo:

«Minha filha, minha noviça, tu me obedeceste certamente abandonando tudo para me seguir.

A doença de teus ouvidos é penosa? Eles serão curados, estejas certa. Sê paciente. É a última prova.

A ferida da mão te maltrata?

Reza em reparação pelos pecados da humanidade.

Cada pessoa desta comunidade é minha filha insubstituível.

Rezas bem a oração das Servas da Eucaristia? Vamos, rezemos juntas!…

Reza bastante pelo Papa, os Bispos e os sacerdotes.»

Agnes Katsuko Sasagawa perdeu a audição desde que trabalhava como catequista na igreja Myokô-Kogen. Por causa dessa surdez ela passou uma temporada no Hospital de Rôsai na cidade de Joetsu. O Dr. Sawada diagnosticou uma surdez total e incurável e redigiu um requerimento para que ela conseguisse uma pensão do governo. Não podendo trabalhar como catequista, ela veio para o Instituto das Servas da Eucaristia de Akita, onde começou uma vida de oração.

A segunda mensagem, como da primeira vez, foi-lhe dada pela voz provinda da imagem da Santa Virgem:

«Minha filha, minha noviça, tu amas o Senhor? Se tu amas o Senhor, ouve o que tenho a te dizer. É muito importante. Tu o transmitirás ao teu Superior.

Muitos homens neste mundo afligem o Senhor. Eu aspiro por almas que O consolem.

Para amenizar a cólera do Pai Celeste eu desejo, com meu Filho, almas que reparem, por seu sofrimento e por sua pobreza, pelos pecadores e pelos ingratos. Para que o mundo conheça Sua indignação, o Pai Celeste se presta a infligir um grande castigo à humanidade inteira.

Com meu Filho, tenho-me interposto muitas vezes para apaziguar o ímpeto do Pai. Impedi a vinda de calamidades oferecendo-Lhe os sofrimentos do Filho na Cruz, Seu Precioso Sangue, as almas bem-amadas que O consolam e formam a corte das almas-vítimas.

Oração, penitência e sacrifícios corajosos podem abrandar a cólera do Pai. Eu também o desejo da tua comunidade. Que ela ame a pobreza, se sacrifique e reze em reparação das ingratidões e dos ultrajes de tantos homens.

Rezem a oração das Servas da Eucaristia, tendo bem consciente o seu conteúdo; ponham-na em prática; ofereçam em reparação pelos pecados.

Que cada qual se esforce, conforme sua capacidade e sua posição, por se oferecer inteiramente ao Senhor. Mesmo em uma Ordem secular, a oração é necessária. Já estão sendo reunidas as almas que desejam rezar. Sem se prender demais à forma, sejam fiéis e fervorosas na oração para consolar o Mestre.»

A terceira e última mensagem foi-lhe dada de igual modo pela Voz proveniente da imagem da Santa Virgem, no dia 13 de outubro do mesmo ano:

«Minha querida filha, ouve bem o que vou te dizer. E informarás o teu Superior.»

Depois de um breve silêncio:

«Como já te disse, se os homens não se arrependerem e não melhorarem, o Pai infligirá um castigo terrível à humanidade inteira.

Será um castigo mais severo que o dilúvio, tal como jamais houve antes.

Cairá do Céu um fogo que aniquilará uma grande parte da humanidade, tanto os bons como os maus, não poupando nem os sacerdotes nem os fiéis. Os sobreviventes se encontrarão em tal desolação que invejarão os mortos.

As únicas armas que nos restarão então serão o Rosário e o Sinal deixado pelo Meu Filho.

Rezem cada dia as orações do Rosário. Com o Rosário, rezem pelo Papa, pelos Bispos e pelos sacerdotes.

A ação do diabo se infiltrará mesmo na Igreja, de modo que serão vistos cardeais se oporem a cardeais, bispos a outros bispos.

Os padres que me veneram serão desprezados e combatidos por seus confrades; as igrejas, os altares serão saqueados, a Igreja estará cheia daqueles que mantém compromissos espúrios e o demônio forçará muitos sacerdotes e consagrados a deixarem o serviço do Senhor.

O demônio se encarniçará sobretudo contra as almas consagradas a Deus.

A perspectiva da perda de numerosas almas é a causa da minha tristeza. Se os pecados crescerem em número e gravidade, para esses não haverá perdão.»

Esta mensagem está vinculada à condição de que: “Se os homens não se arrependerem e não melhorarem…”, contudo, eu penso que é um aviso sério, ainda que em tudo se sinta o amor materno quando diz: “… a perspectiva da perda de numerosas almas me entristece.”

Se a promessa contida na primeira Mensagem de 1973 (Tua surdez é penosa de ser suportada? Tu em breve serás curada…) não se tivesse cumprido, poder-se-ia duvidar da veracidade das mensagens.

Mas essa promessa foi cumprida, nove anos depois do início da doença.

Antes que isso se cumprisse, uma pessoa semelhante a um anjo, havia anunciado à irmã Sasagawa (em 25 de março e no dia 1° de maio de 1982):

«A surdez te faz sofrer, não é? O momento da cura prometida se aproxima.

Por intercessão da Santa Virgem e Imaculada, exatamente como da última vez, diante d’Aquele que está realmente presente na Eucaristia, teus ouvidos serão curados definitivamente para que a obra do Altíssimo seja cumprida.

Haverá ainda muitos sofrimentos e obstáculos vindos do exterior. Tu nada tens a temer. Suportando e oferecendo, serás protegida. Oferece generosamente e reza.

Transmite o que te disse àquele que te dirige e pede-lhe conselho e oração.

Teus ouvidos serão curados definitivamente durante este mês consagrado ao Imaculado Coração de Maria. Eles serão curados, como da última vez, por Aquele que está realmente presente na Eucaristia.

Aqueles que acreditarem neste sinal receberão numerosas graças. Haverá opositores, mas tu nada tens a temer.»

Efetivamente, no último domingo do mês de Maria, dia 30 de maio de 1982, na Festa de Pentecostes, no momento da elevação do Santíssimo Sacramento, seus ouvidos ficaram curados definitiva e instantaneamente. Nesta mesma noite, ela me telefonou e conversamos normalmente.

No dia 14 de junho seguinte, visitei o Dr. Arai, do serviço de otorrino do Hospital da Cruz Vermelha de Akita, que havia constatado a completa surdez da irmã Sasagawa, precisamente quando ela chegava a Akita, há nove anos. Eu lhe perguntei o que achava. Ele ficou estupefato com essa cura completa. A mesma estupefação teve o Dr. Sawada do Hospital de Rôsai de Joetsu, que inicialmente a havia examinado, quando ficara completamente surda. Ele lhe entregou um atestado médico, confirmando que a partir dali, depois de acurados exames de sua capacidade auditiva, ele não constatou mais nenhuma anomalia em ambos os ouvidos da irmã Sasagawa.

Irmã Agnes e a imagem milagrosa

Conheço a irmã Sasagawa há mais de dez anos; trata-se de uma mulher sadia de espírito, franca e sem problemas; ela sempre me causou a impressão de uma pessoa equilibrada.

Por conseqüência, as Mensagens que ela diz ter recebido não me parecem de modo algum resultantes de imaginação ou alucinação.

Quanto ao conteúdo das Mensagens recebidas, não há nelas nada de contrário à doutrina católica ou aos bons costumes; e, quando se pensa no estado atual do mundo, o aviso parece aplicar-se a ele em muitos pontos.

Venho entregar-lhes minhas experiências e minhas reflexões a propósito dos acontecimentos relativos à imagem da Santa Virgem de Akita e acho que é do meu dever, enquanto Ordinário do lugar, responder às perguntas dos fiéis e lhes dar as diretivas pastorais sobre o assunto. É que só o Bispo da Diocese em questão tem o poder de reconhecer um fato desse gênero. A Congregação para a Doutrina da Fé me deu instruções nesse sentido.

Depois de sua fundação, estou em constante relação com o Instituto das Servas da Eucaristia e conheço exatamente a situação dessa Congregação e de seus membros.

Estudando a história das Aparições da Virgem Maria até o dia de hoje constata-se que são sempre os Bispos do lugar que autorizam a veneração da Virgem Maria, quando Ela se manifesta em suas Dioceses.

Depois de longas orações e maduras reflexões, enquanto Bispo de Niigata, tiro as seguintes conclusões:

1 – Depois das indagações levadas a efeito até o dia de hoje, não se pode negar o caráter sobrenatural de uma série de acontecimentos inexplicáveis, relativos à imagem da Virgem que se encontra no Convento do Instituto das Servas da Eucaristia em Yuzawadai, no Convento de Soegawa, província de Akita, Diocese de Niigata

Tampouco se podem encontrar ali elementos contrários à fé católica ou aos bons costumes.

2 – Conseqüentemente, autorizo, em toda a extensão da Diocese da qual fui encarregado e me foi confiada, a veneração da Santa Mãe de Akita, esperando que a Santa Sé publique seu juízo definitivo sobre este assunto.

Chamo a atenção, relembrando, que mesmo que a Santa Sé publique mais tarde um juízo favorável a propósito dos acontecimentos de Akita, trata-se apenas de uma revelação particular que não é um ponto doutrinal.

Os cristãos são levados a crer apenas no conteúdo da Revelação Divina (encerrada com a morte do último Apóstolo) que comporta tudo o que é necessário à salvação. A Igreja, sempre, até agora, também teve em consideração as revelações particulares enquanto elas fortalecem a fé.

A título de ilustração, cito textos do Compêndio da Doutrina Católica:

“Os Santos e os Anjos, tendo sido confirmados na vontade de Deus, recebem d’Ele graça e glória em abundância, e é justo venerá-los a esse título, pois isso redunda em oferecer louvor e ação de graças ao próprio Deus. Entre os Santos, a Virgem Maria recebe uma veneração especial. De fato, Ela não é somente a Mãe de nosso Salvador, que é Deus, mas também é Mãe de todos nós, e é enquanto Mãe que Ela intercede por nós, cheia da graça divina mais do que todos os Santos e Anjos.” (Compêndio da Doutrina Católica, edição revista, Art. 72).

“Veneram-se imagens e estátuas do Cristo e dos Santos para sustentar a Fé, adorar o Cristo, venerar os Santos. Esse ato também se torna louvor a Deus.” (Compêndio da Doutrina Católica, edição revista, Art. 170).

Enfim, rogo a Deus que Ele conceda a todos vós abundantes graças, com minha bênção apostólica.

Niigata, na Festa da Páscoa, 22 de abril de 1984

  1. Shojiro-Jean Ito, Bispo

Em junho de 1988, o Cardeal Joseph Ratzinger, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, proferiu julgamento definitivo sobre os eventos e mensagens de Akita como confiáveis e dignos de fé.

Fonte:Aparições. net