14 – Visitação de Nossa Senhora, narrada em 1935

No segundo dia do mês de julho, temos uma bela Festa de Maria: Visitação de Nossa Senhora! Todos conhecem a sua história pelas Sagradas Escripturas. São Lucas nos narra como Maria Santíssima depois da saudação do Anjo, foi visitar sua prima Isabel,mãe de São João Baptista. Quando Nossa Senhora chegou à casa de Zacarias, cumprimentou, mui respeitosamente sua santa prima. Foi uma saudação que encheu do Espírito Santo a Isabel e o menino que esta trazia, debaixo do seu coração, João foi santificado antes do seu nascimento: Isabel, repleta de Luz Divina conheceu a grande dignidade de Maria Santíssima até então, desconhecida por todos, mesmo das pessoas mais íntimas. Por isso, Isabel exclamou: Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fructo do vosso ventre! Donde me vem a ventura de receber a visita da Mãe do Meu Senhor?

“Bendita sois vós, porque crestes!”

Podemos avaliar a alegria, a satisfação e mesmo a admiração e estupefacção que se apoderaram de Isabel ao conhecer pelo Espírito Santo que sua prima tão humilde, tão modesta, era a criatura mais santa e mais elevada,era a MÃE DE DEUS!!

Julgou-se indigna e com razão, de receber a mais honrosa visita que se pode imaginar, a visita da Mãe do Criador.

“Ò LAR FELIZ QUE RECEBESTES A VISITA DA MÃE DE DEUS!” Ditosos moradores, os desta casa! Quantas graças! Quanta alegria! Que honra! Que distincção!

Oh! Bendita entre as mulheres dignai-vos visitar também a nossa casa com o vosso Menino! Lançai ao menos um olhar benévolo sobre nós e daí-nos a vossa Santa Benção! “DITOSAS AS CASAS ONDE ENTRAM JESUS E MARIA!”

Esta visita que trouxe tantas alegrias e bençãos, àquela feliz família pode-se repetir e renovar. Em cada Santa Communhão, Jesus, o “Bendito Fruto”, vem a nós.

Foi Maria, quem nos deu Jesus o Salvador. É Maria quem deita o mesmo Jesus em nosso coração, através da Santa Comunhão.

Como Jesus anseia visitar-nos e repousar em nosso coração, da mesma forma, ela deseja ardentemente que abramos o nosso coração para receber a Jesus com fé e amor. Com santa alegria volve seu olhar para nós, pronta a obter-nos de Jesus tudo quanto pedimos.

Oh! Como não hei de corresponder aos anseios de Jesus e Maria, hospedando no meu coração o Verbo Humanado.

Quando Santa Izabel chamou bem-aventurada a Nossa Senhora, ela Virgem humilde, deu toda a honra a Deus.

Entoou aquele sublime canto: “Magnificat”, a mais bela revelação dos sentimentos elevados de sua alma grata: “A minh’alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito exulta em Deus, meu Salvador. Pois Ele olhou para a humildade de sua serva. Portanto, de ora em diante, chamar-me-ão Bem-aventuradas todas as gerações, pois grandes coisas fez em mim o Todo-Poderoso, cujo nome é Santo”. Que bela lição! Tudo devemos ao Santo Bom Deus. Nada de bem há em nós, se não dado pelas Suas Mãos. Jamais sejamos ingratos! Devemos cultivar este nosso sentimento.

Peçamos a Nossa Senhora que adore, louve e ame nosso querido Jesus, por nós. Quantas vezes faltei em meu dever?

Fazei-me grata a Jesus, sobretudo, após á Santa Comunhão!

RESOLUÇÃO: Sempre fazer bem a ação de graças depois da santa Comunhão! JMJ

Extraído do Livro; Leituras Eucharísticas – Ed. Vozes – 1935Cedido gentilmente pela amiga Geraldinha Maia de Caxambu – MG – Colaboração de Maria de Lourdes Salles e Passos – Niterói RJ – Paróquia São Francisco Xavier – Padres: Pedro e Rafael